Laudo do IML descarta violência sexual em criança sequestrada em Panelas

Laudo do IML descarta violência sexual em criança sequestrada em Panelas

Jovem diz ter sido obrigada a fazer sexo durante entrevista de emprego
Após professor desconfiar que aluna sofria abusos, tio dela é preso

*INFORMAÇÕES ATUALIZADAS SOBRE O CASO:  SEGUNDO O IML A MENINA NÃO FOI ABUSADA SEXUALMENTE, COMO FOI DIVULGADO POR UMA CLINICA DE PANELAS.*

O laudo do Instituto de Medicina Legal (IML) apontou que a menina de três anos, que foi sequestrada em Panelas, no Agreste de Pernambuco, não sofreu violência sexual. A informação foi divulgada durante uma coletiva de imprensa realizada pela Secretaria de Defesa Social (SDS) na manhã desta quinta-feira (28), no Recife.

De acordo com a gerente da Polícia Científica, Sandra Santos, a garota apresentava sinais de descuidos. “A criança foi levada ao IML de Caruaru. Lá, o perito médico legista José Alves fez a perícia traumatológica e a perícia sexológica. Ele não confirmou a informação de que a criança havia sido estuprada. Segundo o médico, não há nenhum sinal de violência sexual e física na criança”, afirmou.

A informação divulgada na coletiva contradiz o que foi dito na manhã desta quinta pela Polícia Civil. Anteriormente, a polícia havia divulgado que um médico da policlínica do município, onde a criança foi atendida, teria informado que o hímen dela estava rompido.

A criança ficará sob os cuidados da família e do Conselho Tutelar. Exames de DNA serão realizados para confirmar a maternidade e paternidade da garota. Até a publicação desta matéria, os suspeitos do sequestro não foram localizados.

 

O caso

De acordo com a mãe da criança, dois homens desconhecidos pediram água, e quando ela voltou para entregar, eles estavam levando a menina para dentro de um carro. A mulher contou que quando tentou impedir, eles a ameaçaram com uma arma. Os homens fugiram com a criança em um carro Celta branco, com faixas pretas. O veículo foi encontrado na tarde desta quarta-feira (27) no bairro de Massaranduba, em Garanhuns, também no Agreste.

Um vizinho foi levado para prestar depoimento na Delegacia de Bezerros, porque, segundo o depoimento da mãe prestado à polícia, ele teria informado aos suspeitos onde a família morava. O dono do carro foi localizado e informou que teria vendido para uma pessoa desconhecida, há uma semana. Ele também foi ouvido e liberado. O pai da menina não estava em casa no momento do crime.

Via: TV Jornal

Voz da Mata Sul – em busca da informação.

COMMENTS

WORDPRESS: 0