Um ano após enchentes em Cortês, como estão as famílias que ficaram desabrigadas ?

Um ano após enchentes em Cortês, como estão as famílias que ficaram desabrigadas ?

Chuvas na Mata Sul deixa moradores em alerta
Cidades do interior de SP registram chuva de granizo

A aproximadamente um ano, uma forte chuva atingia a Mata Sul e parte do Agreste pernambucano deixando um rastro destruição que não atingiria apenas as casas de algumas pessoas, o impacto mais forte seria na vida delas, isso porque ainda existe diversas famílias desabrigadas no município de Cortês, uma das cidades que foi bastante atingida, não apenas pelo Rio Sirinhaém que corta a cidade e que nessas épocas de chuvas acumulam uma grande quantidade de águas, como também diversas barreiras e encostas caíram trazendo medo e transtornos aos Cortesenses.

De imediado a prefeitura logo acolheu as famílias que estavam perdendo o pouco que tinham, salvaram apenas poucas roupas e alguns documentos, centenas de quilos de donativos chegaram à cidade, enviada por diversas entidades públicas, particulares e religiosas. Algumas famílias se abrigaram na casa de parentes para aos poucos irem retornando para suas casas, na sua maioria condenada pela defesa civil do município, destacamos também o trabalho impar dos profissionais.

Passado os dias, os desabrigados foram alojados pela prefeitura nas escolas do municípios, algumas delas estaduais, meses se passaram, cansados da demora, algumas preferirem retornarem para suas casas, mesmo com forte risco de desabamentos, outras preferiram ficar no abrigo temporário, dividindo o espaço com os alunos e outras familias.

Em conversa nos bastidores, não tem previsão das casas ficarem prontas devido a falta de verbas por parte do governado estadual, obras do cais estão sendo feitas com recurso próprio por iniciativa do prefeito Reginaldo Morais, será que nessas eleições o governo municipal irá apoiar e pedi votos para Paulo Câmara? sem previsão das casas ficarem prontas, o que está sendo dito as famílias que querem seus lares e suas privacidade de volta? as perguntas cercam os cortesenses que querem ouvir a resposta do governo municipal, e esperam que sejam positivas.

Algumas famílias falaram a nossa equipe que recebiam um valor simbólico para pagar aluguel, porém alguns foram cortados ou ainda não receberam, ao voltar para suas casas mesmo condenadas e correndo o risco de serem soterrados, eles não tem opção, na rua larga como é conhecida pelos munícipes, quando chove as casas enchem de lama e o drama dos moradores voltam, será preciso acontecer uma tragedia para que tomem alguma providência? vamos aguarda os próximos capítulos…

A palavra está aberta as nomes citados na matéria.

Você pode enviar suas denúncia, criticas ou sugestões de pauta para nosso e-mail: [email protected] ou nosso WhatsApp: (81) 9 8244-0814

 

COMMENTS

WORDPRESS: 0