Bezerros registra primeiro caso de febre amarela de Pernambuco.

Bezerros registra primeiro caso de febre amarela de Pernambuco.

Foi confirmado nesta sexta-feira (16) pela Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco (SES), o primeiro caso de uma pessoa infectada com febre amarela

Nova “lista da morte” colocada em escola assusta moradores do Agreste.
Criança morre após se afogar em bueiro, em Toritama.
Pai e filho morrem afogados no rio Sirinhaém no município de Cortês.
Alerta de chuvas moderadas a fortes na Mata Sul, RMR e Agreste até o sábado.
Os perigos que um mergulho no rio esconde.
FAINTVISA - FACULDADE DA VITÓRIA
Foi confirmado nesta sexta-feira (16) pela Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco (SES), o primeiro caso de uma pessoa infectada com febre amarela no estado. O resultado do diagnóstico apontou que o infectado reside no município de Bezerros, no Agreste, e teria contraído a doença em viagem a São Paulo.
A viagem do referido paciente teria ocorrido no dia 29 de janeiro e, apesar do ocorrido, a SES relatou que o homem está bem e fora do período de viremia, ou seja, o vírus não está mais em seu organismo. Outro caso suspeito – da filha do Paciente I – está sendo analisado. Ao todo quatro casos já foram notificados no estado, porém três não se confirmaram.
Apesar da confirmação, a Secretaria de Saúde ressalta que deve haver cautela por parte dos pernambucanos. A infecção não necessariamente significa estado de alerta, já que o homem contraiu a doença fora do estado. Na próxima semana o Laboratório Central de Pernambuco (Lacen-PE) irá iniciar os exames sorológicos (IgM) com o objetivo de detectar possíveis novos casos.
Febre amarela
A febre amarela é uma doença viral aguda causada por um vírus. Na maior parte dos casos, os sintomas incluem febre, calafrios, perda de apetite, náuseas, dores de cabeça e dores musculares, principalmente nas costas. Os sintomas geralmente melhoram ao fim de cinco dias. Em algumas pessoas, no prazo de um dia após os sintomas melhorarem, a febre regressa, aparecem dores abdominais e as lesões no fígado causam icterícia. Quando isto ocorre, aumenta o risco de insuficiência renal e respectivamente morte.