Em entrevista, Carlinhos da Pedreira diz que atual gestão de Barreiros tem desvio de verba.

Em entrevista, Carlinhos da Pedreira diz que atual gestão de Barreiros tem desvio de verba.

Em Barreiros, protesto bloqueia rodovia PE-60
Criminoso mais procurado de PE, líder da Gangue do Buchudo é preso.

O ex-prefeito do município de Barreiros, Carlos Artur Soares de Avellar Júnior, o “Carlinhos Pedreira” fez várias críticas ao atual gestor da cidade localizada na Mata Sul de Pernambuco, Elimário Farias. O ex-gestor concedeu entrevista na última segunda-feira (27) na rádio Top Rio (90.5), no Jornal Top Rio. Ele disse que a atual gestão tem desvio de verba.

Carlinhos da Pedreira concedeu entrevista por conta dos recentes episódios que envolvem a Prefeitura de Barreiros. O atual prefeito Elimário Farias informou ao Ministério Público de Pernambuco (MPPE) que o governo municipal sofreu uma série de cortes de recursos, como a diminuição no repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), bloqueio de verbas federais por descumprimento do investimento mínimo em saúde no ano de 2016.

Elimário Farias contou ao promotor Júlio César Elihimas que a gestão tem pendências de pagamento de dívidas junto ao INSS com retenção de parte dos recursos do FPM e ainda bloqueios das contas pela Justiça do Trabalho em razão de débitos de empresas terceirizadas com funcionários contratados pela Prefeitura de Barreiros. No dia 10 de maio de 2019, mais de 980 mil foram bloqueados do governo municipal. 

Na entrevista de Carlinhos da Pedreira com Luciano Sena, o ex-prefeito disparou. “Essa gestão que está em Barreiros não tem a responsabilidade de cumprir com os seus deveres: com os funcionários, com a saúde, com a educação e fica botando culpa nas gestões anteriores, então eles ficam dizendo que a gente não cumpriu a lei de responsabilidade fiscal, mas tinham remédios, ambulâncias, Samu, tinha tudo e todos os postos de saúde tinham médicos, dentistas e tinha tudo”, pontuou.

O ex-prefeito seguiu disparando contra a atual gestão. “Não conseguem administrar a cidade. Com muita incompetência, com desvio de verba que todo mundo sabe disso e é notório. Que não tem saúde, não tem algodão no hospital, não tem nada”, disse.

Investimento mínimo em saúde

De acordo com o atual secretário municipal de Saúde, Cristiano Ximenes, o descumprimento do investimento mínimo de 15% da receita corrente líquida na área de Saúde por parte da gestão do ex-prefeito Carlos Arthur no ano de 2016, levou o Ministério da Saúde a reter, no dia 10 de maio, mais de R$ 980 mil da Prefeitura dos Barreiros.

No site da Prefeitura de Barreiros, Ximenes disse. “Lamentavelmente Barreiros ainda sofre com a irresponsabilidade da antiga gestão. Em 2016 o ex-prefeito gastou pouco mais de 7% do orçamento com a área de saúde, quando a Lei de Responsabilidade Fiscal exige o mínimo de 15%. Por conta disso, o Ministério da Saúde agora busca o ressarcimento do valor não investido na época. Algo bem próximo a R$ 3 milhões”, destacou.

Na entrevista na rádio Top Rio, Carlinhos da Pedreira rebateu. “Agora eu quero dizer que esses cortes das verbas que aconteceram, foi porque eles não deram informações em 2018 para alimentar o sistema do SIOPS, por isso que foi cortado. Se eles alimentarem essa verba volta. Agora é muita irresponsabilidade deles”, frisou.

TAC

O prefeito de Barreiros, Elimário Farias, se comprometeu perante o Ministério Público de Pernambuco a adotar as medidas necessárias para quitar os salários e demais vencimentos atrasados dos servidores públicos municipais, além de garantir o pagamento em dia dos meses vindouros. A iniciativa foi celebrada por meio de termo de ajustamento de conduta (TAC) celebrado no dia 21 de maio.

O MPPE e a Prefeitura de Barreiros acordaram a publicação de decretos com os períodos de pagamento de servidores efetivos (entre os dias 10 e 15 do mês seguinte ao trabalhado), comissionados e contratados (entre o dia 20 e o último dia útil do mês seguinte). Esse cronograma visa assegurar que o pagamento dos servidores coincida com os repasses do FPM.

Outra medida assumida pela gestão municipal foi quitar todos os salários em atraso dos servidores efetivos até o dia 31 de maio e, no caso dos comissionados e contratados, quitar os vencimentos atrasados referentes aos meses de março e abril. O TAC prevê ainda uma multa diária de R$ 500,00 em caso de descumprimento de qualquer uma das obrigações assumidas pelo prefeito de Barreiros.

Do RÁDIO TOP RIO FM

COMMENTS

WORDPRESS: 0