Fogo em hospital no Rio de Janeiro deixa 11 pessoas mortas;

Fogo em hospital no Rio de Janeiro deixa 11 pessoas mortas;

Horário de verão muda de data e começará em novembro
22% dos brasileiros vivem abaixo da linha da pobreza, diz estudo.

A direção do Hospital Badim, parcialmente destruído em um incêndio na noite desta quinta-feira (12), afirmou às 7h desta sexta (13) que os bombeiros encerraram no fim da madrugada as buscas por mortos.

Onze corpos – todos de pacientes, segundo a unidade – foram retirados durante varreduras. Apenas uma vítima foi identificada: Luzia dos Santos Melo.
A varredura dos bombeiros começou por volta das 21h45, cerca de uma hora após o fogo ter sido considerado debelado, e seguiu pela madrugada. Os corpos foram retirados em sacos e levados ao Instituto Médico-Legal (IML).

Segundo os bombeiros, cerca de 90 dos 103 pacientes internados foram transferidos 

O fogo começou por volta das 18h30 em um dos dois prédios do complexo – o mais antigo, aberto em 2000.

De acordo com a direção do hospital, a principal suspeita é de um curto-circuito no gerador do prédio 1, espalhando fumaça para todos os andares do prédio antigo.

Ainda segundo a direção, os pacientes do Centro de Tratamento Intensivo 1 (CTI) foram retirados e receberam os primeiros atendimentos na Rua Arthur Menezes por volta das 19h30. Os pacientes do CTI 2, que tem 20 leitos, também foram retirados.

Segundo moradores, pacientes e funcionários começaram a sair do hospital assim que o incêndio começou.

 Pacientes são removidos após incêndio que atinge o Hospital Badim — Foto: WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO

Anteriormente, 14 pessoas haviam sido removidas do prédio, transportadas por 10 ambulâncias da rede municipal de Saúde para unidades particulares. Mas muitos pacientes, entre eles vários idosos, seguiam sendo transferidos para outros pontos de saúde públicas e particulares. Um prédio anexo ao hospital, inaugurado em 2018, também foi usado para atendimento.

Ao todo, 103 pessoas estavam internadas na unidade no momento do incêndio. O número de funcionários do hospital não foi informado. Enfermeiros, médicos, bombeiros e moradores da região ajudaram a acomodar pacientes em colchões nas calçadas e em uma creche vizinha.

Via: PE10

COMMENTS

WORDPRESS: 0