Petrobras: Temer anuncia Ivan Monteiro como presidente e diz que não haverá interferência na política de preços

Petrobras: Temer anuncia Ivan Monteiro como presidente e diz que não haverá interferência na política de preços

Presidente fez um pronunciamento após Ivan Monteiro aceitar convite para assumir comando da Petrobras. Pedro Parente pediu demissão nesta sexta-feira (1º).

O presidente Michel Temer anunciou nesta sexta-feira (1º) Ivan Monteiro como presidente da Petrobras e afirmou que não haverá interferência na polít

Petrobras abre inscrições para 954 vagas de níveis médio e superior.
Gás mais Barato, Petrobras reduz preço do gás de cozinha em 4,5%.
Petrobras eleva preço da gasolina em 2,25% nas refinarias.
Protesto de caminhoneiros contra alta do diesel para trânsito em todo o país.
Petrobras aumenta preço da gasolina em 4,2% nas refinarias
Vereador Nidinho da Saúde

O presidente Michel Temer anunciou nesta sexta-feira (1º) Ivan Monteiro como presidente da Petrobras e afirmou que não haverá interferência na política de preços da estatal.

Temer fez um pronunciamento (leia a íntegra ao final desta reportagem) no Palácio do Planalto após Ivan Monteiro aceitar o convite para assumir o comando da Petrobras. Antes do anúncio, Monteiro se reuniu com o presidente, informou o colunista do G1 e da GloboNews Valdo Cruz.

Mais cedo, nesta sexta, Pedro Parente pediu demissão da presidência da estatal.

“Comunico que, escolhido hoje como interino, Ivan Monteiro, que é diretor da Petrobras, será recomendado ao Conselho de Administração para ser efetivado na presidência da Petrobras”, afirmou o presidente.

“Eu aproveito para reafirmar que meu governo mantém o compromisso para recuperação de a saúde financeira da companhia nestes dois anos. […] Declaro também que não haverá qualquer interferência na política de preços da companhia”, acrescentou Temer no pronunciamento.

Os frequentes e até diários reajustes nos preços dos combustíveis, decorrentes da atual política da estatal, estiveram entre os principais fatores que motivaram a greve dos caminhoneiros.

Desde julho do ano passado, a Petrobras promove os reajustes com base na variação do dólar e dos preços do petróleo no mercado internacional.

Política de preços

Mais cedo, nesta sexta, o Ministério de Minas e Energia divulgou uma nota na qual afirmou que a Petrobras tem “total autonomia” para definir a política de preços dos combustíveis.

A pasta acrescentou, contudo, ser preciso criar um mecanismo para “proteger” o consumidor da “volatilidade” do mercado.

Segundo a colunista do G1 Andréia Sadi, o ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, pressionou Pedro Parente durante a greve dos caminhoneiros, queixando-se da política de preços da estatal.

O secretário-executivo da pasta, Marcio Felix, contudo, nega que tenha havido pressão sobre Pedro Parente.

Polêmica

Na última quarta (30), a Presidência da República divulgou uma nota para afirmar que o governo vai “preservar” a política de preços da Petrobras.

A nota foi divulgada diante da polêmica em torno de uma declaração de Temer na qual o presidente afirmou que o governo pode reexaminar a política.

Segundo o Blog do Valdo Cruz, a fala do presidente gerou confusão no mercado e na própria estatal, levando Temer a chamar a equipe de comunicação para definir qual medida tomar.(Fonte: G1)

Voz da Mata Sul – Em buscar da informação.

Vereador Salatiel Cortez

COMMENTS

WORDPRESS: 0