São Paulo registra primeira morte por coronavírus e investiga outras quatro

São Paulo registra primeira morte por coronavírus e investiga outras quatro

Abin confirma ameaça terrorista contra o Brasil; ‘lobos solitários’ preocupam
Enem 2016: Inscrições começam hoje às 10h

A Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo confirmou, na manhã desta terça-feira (17/03), a primeira morte relacionada ao novo coronavírus no Brasil. O paciente era homem morador de São Paulo, de 62 anos, que estava internado em um hospital privado.

O paciente não tinha histórico de viagem, mas apresentava duas condições pré-existentes: diabetes e hipertensão.

Além desse caso, outras quatro mortes estão sendo investigadas por suspeita de terem sido provocadas pelo vírus, disse no início da tarde o coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus de São Paulo, o infectologista David Uip.

De acordo com Uip, a primeira vítima que morreu por coronavírus no Brasil apresentou os primeiros sintomas no dia 10 de março, foi internado na UTI dia 14 de morreu no dia 16.

De acordo com o último boletim do Ministério da Saúde, de segunda (16), o Brasil tem 234 casos confirmados da doença. Destes, 152 estão no Estado de São Paulo, que tem mais de 1,7 mil casos suspeitos.

No mundo todo a covid-19, doença causada pelo vírus, já matou mais de 6.500 pessoas — mais de 167 mil casos foram reportados até esta segunda-feira (16/03).

A morte foi anunciada no mesmo dia que a prefeitura de São Paulo declarou estado de emergência na cidade — o decreto permite que a prefeitura tome atitudes emergenciais, como cancelar alvarás de eventos já concedidos, comprar suprimentos a preços diferentes, entre outras medidas.

O prefeito de São Paulo Bruno Covas disse que está trabalhando com o Estado e com o governo Federal para combater a doença.

Sem sangue

De acordo com David Uip, os bancos de sangue de São paulo estão praticamente sem estoque. Segundo ele, a unidade com a melhor situação tem capacidade para apenas mais uma semana.

O infectologista afirmou que os doadores não precisam ter medo de ser infectado no local de doação.

“Ele não pode ter medo. Se tem um lugar que está protegido é o banco de sangue. É um ambiente totalmente seguro e o doador pode ficar tranquilo. A população precisa contribuir doando sangue”, afirmou Uip.

VIA: BBC NEWS

COMMENTS

WORDPRESS: 0